O ex-professor de direito Benny Tai (centro), uma figura-chave nos protestos em 2014 e também um dos principais organizadores das primárias, senta-se em um carro depois de ser preso pela polícia em Hong Kong, nesta quarta-feira, 06 de janeiro de 2021. Mais de 50 pessoas foram detidas. Crédito: AP Photo/Apple Daily

Pelo menos 50 opositores do Partido Comunista da China (PCCh) foram presos nesta quarta-feira, 06, em Hong Kong. As autoridades enquadraram o grupo na polêmica “lei de segurança nacional”, aprovada ano passado pelo PCCh. Até o momento, é a maior operação contra desafetos da ditadura comunista de Pequim. Entre os alvos estão ex-parlamentares pró-democracia, como James To, Andrew Wan e Lam Cheuk Ting, a jornalista Gwyneth Ho, de 30 anos, e a vereadora Tiffany Yuen, de 27. A polícia de Hong Kong não esclareceu os motivos das detenções.

A ONG Humans Rights Watch emitiu nota condenando as prisões: “Milhões de habitantes de Hong Kong persistirão em sua luta para votar e se candidatar a um governo democraticamente eleito”. A operação ocorre poucos dias depois de a China e a União Europeia (UE) assinarem um acordo bilateral histórico. Para a UE, o bloco “arrancou” concessões de Pequim na área de direitos humanos. Também chega em um dia em que a atenção norte-americana está voltada para o segundo turno das eleições no Estado da Geórgia.

A oposição garante que o ato de hoje está relacionado às primárias organizadas por partidos pró-democracia, no ano passado. Mais de 600 mil cidadãos de Hong Kong votaram nessas primárias não oficiais, que tinham o objetivo de escolher candidatos para as eleições legislativas do território, em uma assembleia em que apenas metade dos 70 assentos são eleitos pelo povo (os demais são indicados pelo PCCh). À época, a ditadura chinesa alegou que fazer campanha por uma maioria no parlamento era “subversão da democracia”.

Fonte: Cristyan Costa/Revista Oeste

Leia também:

Imagens indicam que China ergueu vila em área disputada com Índia e Butão

Imagens de satélite desmentem regime chinês: Já são quase 400 campos de concentração em Xinjiang

Xi Jinping ordena que Exército chinês esteja pronto para combate “a qualquer segundo”

Xi Jinping consolida “poder total” sobre a China, tornando-se o homem mais poderoso – e perigoso – do planeta

Empresário chinês é condenado à morte pela ‘justiça’ do PCCh

Magnata chinês fundador do Alibaba Group está desaparecido desde que criticou censura do regime comunista

Enquanto planeta se atola em “2ª onda” de Covid, Xi Jinping celebra crescimento da China

Programa de televisão na China expõe alegados espiões de Taiwan em horário nobre

China obriga professores a assinar compromisso com o ateísmo e negação da fé

Pesquisador afirma que China usou armas de micro-ondas para atacar soldados indianos em conflitos de fronteira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s