Não, estimado leitor. Você não está enxergando mal, nem entendendo errado. Também não está numa matéria “fake”. E esses dados não serão divulgados pela imprensa, defensora “mortal” do holocausto fetal. Crédito: 12th & Delaware

O aborto foi a causa de mais de 42 MILHÕES de mortes ao longo de 2020, segundo dados compilados pela organização que se dedica a monitorar informações sobre saúde, população global, óbitos em tempo real e outros números relacionados à população. A quantidade de bebês assassinados supera em muito o total de pessoas que faleceram em decorrência das principais causas de morte no mundo.

O Worldometer tabula estatísticas sobre aborto disponibilizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – a mesma OMS que, em tétrica ironia, trata o aborto como “serviço essencial”. O último relatório disponibilizado em 2020, na véspera de Ano Novo, revelou que mais de 42,6 milhões de abortos foram realizados em todo o mundo entre janeiro e dezembro passados.

Em comparação, as doenças transmissíveis mataram mais de 13 milhões de pessoas em todo o mundo em 2020; cerca de 8,2 milhões de pessoas perderam a vida devido ao câncer; 5,1 milhões e 2,5 milhões de pessoas morreram devido ao fumo e ao álcool, respectivamente.

Se essas mortes forem somadas ao 1,8 milhão de mortes ao redor do mundo por Covid-19 – conforme dados da Universidade Johns Hopkins até final de dezembro – a soma chegaria a 30,6 milhões.

Conforme informações do portal The Christian Post, outras principais causas de morte ao longo do ano passado foram acidentes de trânsito, com quase 1,4 milhão, e suicídios, com aproximadamente 1,1 milhão de mortes em todo o mundo.

O número total de mortes no mundo em 2020, excluindo abortos, foi de quase 59 milhões. Mas se os abortos fossem contabilizados como causa de morte e não apenas outra estatística de saúde, o número global de mortes em 2020 aumentaria para mais de 100 milhões.

O número de gestações interrompidas em 2020 é maior do que o número total de pessoas que sucumbiram a todas as outras principais causas de morte listadas.

O ano de 2020 não é o primeiro em que o número total de abortos ultrapassou o total de pessoas que morreram pelas principais causas de morte. O mesmo já havia ocorrido em 2019, quando foram relatados 42,4 milhões de assassinatos no ventre.

Somente nos primeiros dias de 2021, o Worldometer mostra que houve mais de 638 mil abortos, até a finalização desta matéria, em 06 de janeiro, 11h10. Veja em quantos estão agora, clicando aqui.

Fonte: Tiago Chagas/ Gospel Mais

Leia também:

A tragédia de crianças nascidas vivas durante abortos

Perfil no Instagram ensina fazer aborto e plataforma não se importa

Biden nomeia radical abortista para chefiar o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA

A inversão da fé: Vaticano considera “aceitável” vacinas obtidas de células de fetos abortados e espera que você, fiel ovelha, acredite

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s