O presidente iraniano Hassan Rohani, falando em uma reunião de gabinete em Teerã em 02 de dezembro. Sob a nova lei, o governo é obrigado a suspender as inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Crédito: RFE/RL’s Radio Farda

O Conselho de Guardiões do Irã, um órgão constitucional iraniano, aprovou uma lei que exige que o governo suspenda as inspeções das Nações Unidas nas instalações nucleares do país e aumente o enriquecimento de urânio além do limite estabelecido no acordo nuclear de 2015 entre Teerã e potências mundiais, se as sanções não forem abrandadas em um mês.

O conselho aprovou a legislação em 02 de dezembro, um dia depois de ter sido chancelada no Parlamento iraniano, o que foi visto como uma demonstração de retaliação, após a morte de um proeminente cientista nuclear iraniano na semana passada.

Sob a nova lei, o governo é obrigado a suspender as inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), se as potências ocidentais que ainda são signatárias do acordo nuclear de 2015 – Grã-Bretanha, França, Alemanha, China e Rússia – não restabelecerem o acesso do Irã aos mercados bancários e de petróleo mundiais dentro de um mês.

A lei também pede que o Irã retome o enriquecimento de urânio com pureza de 20% “para usos pacíficos”.

O Irã atualmente enriquece um estoque crescente de urânio em cerca de 4,5%, acima do limite de 3,67% do acordo, mas abaixo dos 20% que o Irã havia alcançado antes e os 90% de pureza considerados adequados para armas. Teerã sempre negou ter buscado armas nucleares, dizendo que seu programa nuclear era “estritamente para fins civis”.

O projeto foi apresentado pela primeira vez no parlamento no verão iraniano, mas ganhou novo ímpeto após a morte de Mohsen Fakhrizadeh, que era a figura central do programa nuclear secreto do país, nos arredores de Teerã, em 27 de novembro.

Ninguém assumiu a responsabilidade, mas as autoridades iranianas culparam Israel, um grupo de oposição exilado, e a Arábia Saudita pelo assassinato. Autoridades israelenses se recusaram a comentar o assassinato, enquanto o grupo de oposição iraniano e a Arábia Saudita também negaram qualquer envolvimento.

Fonte: Thaís Garcia/Conexão Política

Leia também:

Irã admite violação de acordo nuclear descoberta por inspeção da ONU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s