Milhares de pessoas protestam contra nova paralisação do país, enquanto o parlamento faz exatamente ao contrário e ainda aprova mais poderes para a chanceler Merkel. Crédito: Terça Livre

Em meio a protestos que reuniram milhares de manifestantes contra o governo, o parlamento da Alemanha aprovou uma reforma que amplia os poderes da chanceler do país, Angela Merkel. A medida endurece as limitações impostas às pessoas sob a justificativa de “conter o avanço do coronavírus”. O artigo 28 da nova lei estabelece o uso obrigatório de máscara, a suspensão de atividades culturais ou de esporte, a imposição de uma distância física em lugares públicos e a restrição de viagens, bem como a proibição de venda de álcool em lugares abertos. Já o dispositivo número 36 da legislação torna mais rigoroso a entrada na Alemanha de viajantes de zonas de risco.

Conforme a lei, Merkel poderá adotar mais “medidas de proteção”, caso o país supere 50 novos contágios a cada 100 mil habitantes em sete dias. Partidos de oposição, como o direitista Alternativa por Alemanha, criticaram a decisão dos parlamentares (foram 415 votos a favor e 236 contra) aprovada em dois dias, sem amplo debate com os demais membros da Casa. Segundo os integrantes da sigla, que contou com o apoio da legenda de esquerda Die Linke, a nova legislação atenta contra os direitos fundamentais dos cidadãos e não oferece segurança jurídica. Nas redes sociais, internautas comparam a medida com a lei de 1933 que cedeu todos os poderes a Adolf Hitler.

Após dias de protestos em Berlim, onde policias reprimem manifestantes contra o lockdown, a jornalista alemã Sietske Bergsma escreveu um tuíte comparando os planos de Merkel com a Lei de Habilitação de Hitler de 1933. A Lei de Concessão de Plenos Poderes de 1933 foi o segundo grande passo, após o Decreto do Incêndio do Reichstag, através do qual o chanceler Adolf Hitler obteve legalmente plenos poderes, estabelecendo assim a sua ditadura.

Milhares de pessoas protestam em Berlim contra os planos de Merkel para o coronavírus e uma nova lei semelhante à Lei de Habilitação de Hitler de 1933“, escreveu a jornalista Bergsma.

Fonte: Cristyan Costa/Revista Oeste/Brehnno Galgane

Leia também:

A idealização do radicalismo islâmico na França – o multiculturalismo e a desintegração da sociedade cristã

Dados mostram que financiamento da União Europeia a ONGs palestinas promove antissemitismo e ajuda grupos terroristas

Papa ataca cidadãos contrários ao lockdown e chama-os de “egoístas”

Enquanto a Europa se fecha novamente em lockdowns, Wuhan festeja o Halloween

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s