Velhas alianças entre países narcoterroristas, comunosocialistas e totalitários voltam a contar com a Bolívia. Crédito: Getty Images

Novo presidente da Bolívia, o comunosocialista Luis Arce, do mesmo partido de Evo Morales (Movimento ao Socialismo, MAS), restabeleceu as relações diplomáticas de seu país com Irã e Venezuela. O político recebeu as credenciais dos embaixadores das duas nações, na última quarta-feira, 11, dois dias depois de tomar posse no cargo.

Por meio do Twitter, Arce afirmou que os representantes do governo iraniano são sempre bem-vindos na Bolívia e que a reaproximação com os venezuelanos fortalece laços estratégicos entre os povos dos dois países.

“Recebemos as credenciais do embaixador da República Islâmica do Irã, Morteza Tafreshi. Eles são sempre bem vindos a Bolivia. Continuaremos a fortalecer projetos comuns em benefício de nossos povos”, publicou.

“Recebemos as credenciais do Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República Bolivariana da Venezuela na Bolivia Alexander Gabriel Yáñez Deleuze. Restabelecemos as relações bilaterais para fortalecer os laços estratégicos para o bem de nossos povos”.

O presidente argentino Alberto Fernández (por sua vez, poste de Cristina Kirchner), celebrou no dia 08 a “volta da democracia” boliviana: “Hoje é um dia muito importante para a América Latina porque a Bolívia recupera a democracia que nunca deveria ter perdido. Meus melhores votos a Lucho e meu amor, carinho e compromisso com o povo boliviano nesta nova etapa que se inicia”.

Arce foi eleito com o apoio do ex-presidente Evo Morales, que manteve um governo alinhado com esses dois países por 13 anos – até sua renúncia, após a Organização dos Estados Americanos (OEA) denunciar Morales por fraude eleitoral, em 2019.

La Paz pretende também o regresso dos embaixadores do México e da Espanha (“coincidentemente” socialistas), depois de várias fricções diplomáticas durante o anterior governo interino. Cuba, igualmente, voltará a ser forte aliada boliviana.

Jovens revolucionários, doutrinados e “educados”, serão testados

Luis Arce começa a governar o país com uma equipe de jovens, “produtos da revolução”, segundo ele. “São jovens profissionais aymaras, quechuas, guaranis e que agora felizmente têm um diploma e um título acadêmico”, disse. O novo gabinete ministerial é composto por 13 homens e três mulheres. A maioria são jovens.

Fonte: Artur Piva/Revista Oeste

Leia também:

Na Bolívia, cerimônia de posse do presidente socialista Arce começará com uma “oferenda” à Pachamama

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s