A imprensa internacional comemora a nomeação do primeiro afrodescendente norte-americano a ter este título na Igreja Católica. No entanto, a mesma mídia “esquece” de informar que o arcebispo Gregory é de extrema esquerda. Crédito: Church Militant

O Papa Fran­cisco anun­ciou neste do­mingo, 25, a no­me­ação de 13 novos car­deais para a Igreja Ca­tó­lica. Na lista, está o atual ar­ce­bispo de Washington D.C., Wilton Daniel Gre­gory, que é ca­te­go­ri­ca­mente opo­si­ci­o­nista do con­ser­va­do­rismo e apoi­ador de grupos e mo­vi­mentos ra­cistas, ter­ro­ristas e re­vo­lu­ci­o­ná­rios ame­ri­canos, como o Black Lives Matter (BLM) – que, entre outras atrocidades, defende a destruição de estátuas de Jesus e Maria.

De acordo com a Agência Reu­ters, ele pediu “mais diá­logo” às au­to­ri­dades lo­cais para conter pro­testos de grupos de ódio ra­cial no país. Em junho, cri­ticou Trump por ir a uma pa­ró­quia pró­xima à Casa Branca. Ele de­finiu a vi­sita como “des­con­cer­tante e re­pre­en­sível”. Na oca­sião, o pre­si­dente dos Es­tados Unidos tirou fotos no local. O re­li­gioso es­quer­dista não gostou da ati­tude.

Fran­cisco também es­co­lheu car­deais de países de mi­noria ca­tó­lica, como Brunei e Ru­anda. Com­ple­tando a lista, há re­li­gi­osos de Itália, Malta, Fi­li­pinas, Chile e Brunei. As in­for­ma­ções são do portal Terça Livre.

Abaixo, a lista dos novos car­deais:

Dom Mario Grech, se­cre­tário-geral do Sí­nodo dos Bispos;
Dom Mar­cello Se­me­raro, Pre­feito da Con­gre­gação para as Causas dos Santos;
Dom An­toine Kam­banda, ar­ce­bispo de Ki­gali, Ru­anda;
Dom Wilton Gre­gory, ar­ce­bispo de Washington;
Dom José Ad­vin­cula, ar­ce­bispo de Capiz, Fi­li­pinas;
Dom Ce­les­tino Aós Braco, ar­ce­bispo de San­tiago de San­tiago do Chile;
Dom Cor­ne­lius Sim, bispo ti­tular de Puzia di Nu­midia e Vi­gário Apos­tó­lico de Brunei, Kuala Lumpur;
Dom Au­gusto Paolo Lo­ju­dice, ar­ce­bispo de Siena-Colle Val d’Elsa-Mon­tal­cino;
Frei Mauro Gam­betti, fran­cis­cano con­ven­tual, Guar­dião da Co­mu­ni­dade fran­cis­cana de Assis.

Além destes, o Papa uniu aos mem­bros do Co­légio dos Car­deais:

Dom Fe­lipe Ariz­mendi Es­quivel, bispo emé­rito de San Cris­tóbal de las Casas, Mé­xico;
Dom Sil­vano M. To­masi, ar­ce­bispo ti­tular de Asolo, Núncio Apos­tó­lico;
Frei Ra­niero Can­ta­la­messa, ca­pu­chinho, Pre­gador da Casa Pon­ti­fícia;
Mons. En­rico Fe­roci, pá­roco em Santa Maria do Di­vino Amore em Castel di Leva.

Fonte: Jornal Vera Cruz

De origem marxista radical, o BLM é anticristão. Crédito: Church Militant

Leia também:

Uma Europa “saudavelmente laica”, é o desejo do Papa Francisco em mensagem para eventos comemorativos europeus

A pressa gay e a irreversível divisão da Igreja

Papa nomeia a cardeal arcebispo apoiador do Black Lives Matter e anti-Trump

“Acordão” entre Vaticano e China acaba de ser renovado, sob segredos inconfessáveis e transparência ZERO

“Francesco”: Em documentário, Papa defende abertamente a união entre pessoas do mesmo sexo e ainda alfineta Donald Trump

Encíclica papal é um manifesto Maçom, afirma sacerdote alemão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s